Celebrante de casamento | saiba como escolher esse profissional para o Grande Dia

Figura essencial em cerimônias de casamento que dispensam líderes religiosos como padre, pastor, rabino, entre outros, o celebrante de casamento tem papel fundamental na cerimônia. É ele, independente da crença, que passará a mensagem do casamento para os noivos e seus convidados.

Cerimônias diferentes e rituais místicos são alguns dos tipos de celebrações realizadas pelo celebrante de casamento que não necessariamente precisa ter alguma conexão religiosa

Casamento: Ian e Nuara – Divulgação Paulo Godoy Celebrante

Celebrando a união

Entre tantas tarefas atribuídas aos noivos, escolher o celebrante de casamento não está entre as mais simples, pois é preciso selecionar com calma quem será o profissional – porta-voz – da verdadeira mensagem de amor que o casal deseja receber   e transmitir no Grande Dia. O celebrante de casamento não é somente a pessoa que lê mensagens bonitas para os noivos. Ele deve ser muito mais do que isso. Ele precisa conduzir a mensagem com o coração, com sentimento, com emoção. Não é um locutor de casamentos, é um mensageiro do amor.

Casamento Débora e Luciano – Divulgação Paulo Godoy

Antes de contratar o celebrante de casamento, pense primeiro no que você quer para a cerimônia do seu casamento. Existem diversos profissionais no mercado e cada um tem seu perfil, uns mais contidos e verdadeiros, outros operando no automático, outros no estilo stand up, outros apenas locutor.

Casamento Paula e Edu – Divulgação Paulo Godoy

Simpatia, afinidade, confiança e sentir segurança no celebrante de casamento são fatores primordiais para escolher e contratar esse profissional. Para Paulo Godoy, celebrante de casamento, na escolha do celebrante é preciso haver empatia, simpatia, se identificar com o celebrante. “Passar a verdade, ter naturalidade e espontaneidade são diferenciais desse profissional, o casal tem que sentir isso quando conversa com um celebrante”, comenta.

Casamento Samela e Bruno – Divulgação Paulo Godoy

Casamento Mita e Tete (Make A Moment):

Como funciona

Antes mesmo da contratação do serviço de celebrante de casamento existe um encontro para que ambos se conhecem – para o casal falar um pouco sobre si, o que querem o que esperam e o celebrante dizer como trabalha e o que oferece. Uma vez que o serviço foi fechado é hora de partir para a entrevista.

Casamento Bruna e Filipe – Foto: 18 Elementos

O celebrante de casamento costuma entrevistar o casal, saber um pouco mais a respeito dos dois, da família, da religiosidade (se houver), o que é o amor para eles. Enfim, com base nessa entrevista o celebrante de casamento identifica que tipo de mensagem o casal quer passar e prepara o discurso do Grande Dia.

Casamento Bruna e Filipe – Foto: 18 Elementos

Independente da religiosidade do casal, a cerimônia de casamento feita pelo celebrante de casamento tem como objetivo falar sobre espiritualidade, compromisso, amor, união, família e valores. É o celebrante de casamento que dá a identidade da cerimônia.

Casamento Cinthia e Rodson – Foto: Felipe Rezende

Para Babi Nascimento, celebrante de casamento, antes mesmo de procurar o celebrante o casal deve conversar para entender que tipo de cerimônia eles desejam e o que esperam do profissional a ser contratado.

Leia mais: Música para cerimônia: saiba como escolher a melhor opção para o seu casamento

“De qualquer maneira, acredito que nada substitui uma boa conversa olhos nos olhos, quando os laços de empatia e de confiança são formados. Na primeira conversa com o profissional, o casal poderá avaliar como o profissional trabalha, quais são as garantias de seu trabalho e se ele realmente respeita a individualidade de cada casal. A confiança deve ser estabelecida nessa conversa. É muito importante que os casais se identifiquem com a pessoa que irá conduzir o momento mais simbólico do casamento. A cerimônia é o começo de toda celebração, é o rito de passagem do casal. Ela guarda boa parte da memória do casamento! ”, esclarece Babi.

Curiosidade

Cerimônia Homoafetivo

Casamento Bruno e Stênio – Foto: Priscila Photography

Segundo Paulo Godoy, em cerimônias homoafetivo geralmente o perfil do celebrante de casamento é uma mulher mais velha, pois essa celebrante passa uma imagem maternal.

Cerimônia de casamento ateu

Cerimônias de casamento de casais ateus (ou somente um deles) é muito comum. Aqui a base do discurso é o amor. Fala-se de família e de todos os valores sem citar Deus. O ateu tem o amor como base na vida deles e acreditam muito num sentimento que move a vida.

Leia também: Como funciona o casamento religioso com efeito civil

Tipos de cerimônias alternativas

Cerimônia das areias

Casamento Jullie e Bruno – Foto: Rafael Holanda

Em um vaso vazio, que simboliza a família que o casal vai construir, os noivos vão colocando areia colorida que simboliza os pais, os padrinhos, elementos importantes na construção de uma família. A mistura dessas areias representa o nascimento de uma família com seus valores. “O grande simbolismo aqui é tentar separar essas areias misturadas, é impossível separá-las. Quanto mais tentativas forem feitas, mais unidas elas ficarão. Costumo dizer nessas cerimônias que, assim como essas areias não podem ser separadas, assim será a união do casal, baseada no amor”, esclarece Paulo.

Casamento Jullie e Bruno – Foto: Rafael Holanda

Se o casal quiser, pode levar o vaso com a areia para decorar a casa nova.

Casamento Juliana e André – Divulgação Paulo Godoy Celebrante

Cerimônia da árvore

Crédito: DeFoto

A cerimônia da árvore consiste em os noivos plantarem uma árvore em um vaso durante a celebração do casamento. Esse plantio simboliza o cultivo do amor, da fertilidade, da união, força e prosperidade. A proposta é que assim como o casal cultivará a árvore, também deverá cultivar o casamento, a união e o valores de uma família.

Cerimônia dos balões

Crédito: Fottorama

A cerimônia dos balões é algo bem simples. Na chegada ao casamento cada convidado recebe um balão com gás hélio. Em um determinado momento da cerimônia, o celebrante de casamento pede aos convidados que mentalizem coisas positivas para os noivos e um desejo para essa nova família. Depois de pensado os desejos, os convidados soltam os balões ao vento.

Cerimônia Darumá-San

O talismã japonês Darumá-san é inspirado no monge Bôdhidharma. Segundo a lenda, o monge atingiu o “estado de iluminação” depois de meditar profundamente por nove anos. Como ele não podia adormecer e para atingir seu objetivo (ver com a mente em vez dos olhos), ele arrancou suas pálpebras. Esta imagem é relacionada à esperança e à realização dos sonhos através da paciência, perseverança e obstinação do monge Bôdhidharma. O Darumá é uma fonte de determinação, disciplina, encorajamento e dedicação; ajuda a manter o foco e a alcançar sonhos. Na cultura japonesa, o boneco representa perseverança e determinação.

Casamento Cinthia e Rodson – Foto: Felipe Rezende Fotografia

“Na cerimônia, os casais podem pintar o primeiro olho do boneco pensando no futuro, em seus planos e sonhos. No primeiro aniversário de casamento, podem pintar a segunda pupila, celebrando todas as conquistas que tiveram ao longo dos primeiros 365 dias de casados. Eles ainda podem fazer o ritual novamente e dar início a uma coleção de Darumás”, explica Babi.

Crédito: Matome.naver.jp

Cerimônia da caixa de vinho

Casamento Aline e Ricardo – Foto: Frankie e Marília

Durante a cerimônia de casamento, o casal guardará a garrafa de vinho dentro de uma caixa de madeira que deverá ser fechada com um cadeado ou até mesmo pregada. Os noivos também poderão escrever uma carta um para o outro (dias antes do casamento) e guardar essas cartas junto ao vinho. A ideia é que essa caixa só seja aberta depois de muito tempo. O ideal seria esperar pelas bodas de madeira, quando são celebrados os cinco anos de casamento, mas a abertura da caixa e leitura das cartas fica a critério do casal. O ritual lembra que o amor deve ser como vinho, melhor com a maturidade. Há quem dia que essa caixa só poderá ser aberta nas Bodas de Prata, ou seja, nos 25 anos de casamento.

Cerimônia da cápsula do tempo

Crédito: Fottorama

Esse ritual pode ser adotado em qualquer tipo de cerimônia de casamento. A proposta é que familiares e amigos, depositem mensagens de prosperidade e felicidades aos noivos em pequenos papeis que deverão ser colocados dentro de um vidro ou uma caixa. O objetivo é que essas mensagens só sejam lidas depois de alguns anos, 5 ou 10 anos. É uma forma de relembrar e reviver aquele dia tão especial e ler o que cada convidado desejou naquele momento para os noivos.

Cerimônia do filtro dos sonhos

Foto: Sylvie Gil Photography

O filtro dos sonhos é um amuleto originado da cultura indígena americana, que acreditava que esse filtro teria o poder de purificar as energias, transformando a energia ruim em energia boa. Ele também é conhecido como “apanhador” de sonhos e espanta pesadelos. Segundo consta, tem o poder de purificar as energias, além de trazer sabedoria e sorte para quem o possui. Serve como uma mandala para inspirar criatividade, imaginação e ajudar a transformar todos os sonhos e objetivos em realidade.

Casamento Bruna e Filipe (vídeo: Singular Films)

A celebrante de casamento Babi Nascimento explica que para o casamento, o filtro dos sonhos é montado durante a cerimônia. “O cerimonial deixa a mandala pendurada em algum ponto estratégico do altar. As fitas que vão compor o filtro dos sonhos podem ficar numa cesta bonita, no aparador. Os convidados colocam as intenções no filtro dos sonhos do casal. O objeto não será apenas decorativo na casa dos noivos e das noivas, ele terá um significado muito forte, pois nele serão depositados sentimentos e proteção para a nova família. O filtro dos sonhos torna-se uma verdadeira teia de afeto. Ele é a representação da união, da família, da amizade e do amor”.

Casamento Bruna e Filipe – Foto: 18 Elementos

O celebrante de casamento ainda é enfático quando diz o que não pode faltar numa cerimônia e, principalmente, no celebrante: “emoção, não pode faltar emoção, não pode ser aquela cerimônia vazia, sem sentimentos”, declara Paulo. Além da emoção, também não pode faltar verdade, alegria e intensidade, que segundo o celebrante, são sentimentos que devem estar presentes em todas as cerimônias, é o que move. Paulo Godoy ressalta ainda a importância dos votos. “Faço questão que os noivos façam seus votos, é muito lindo, emocionante e verdadeiro”, completa Paulo.

Casamento Stefani e Gabriel – Foto: Marcel Martins

“Meu processo de trabalho com os casais é de co-criação. Todas as decisões sobre a cerimônia são tomadas em conjunto. Antes de definirmos os ritos/rituais, realizo uma entrevista completa com eles. Falamos sobre a história deles, os planos, a família, a religiosidade/espiritualidade, símbolos importantes para noivos e noivas e tudo aquilo que eles gostariam de incluir na memória do casamento. A partir disso, conversamos sobre o desejo de algum ritual específico / alternativo”, finaliza Babi.

Casamento Stefani e Gabriel – Foto: Marcel Martins

Celebrante de casamento preço

A média de custo para ter um celebrante de casamento por 30 ou 40 minutos é de R$ 1.500, num raio de distância de 50 km.

Foto: Shutterstock

Dicas

  • Formação da celebrante de casamento;
  • Experiência;
  • Recomendações: pode ser a indicação de alguém próximo ou mesmo avaliações no site e redes sociais da profissional.

Sobre o Autor
Eva Moreira
Evanise Moreira é jornalista, pós-graduada em comunicação e marketing. Trabalhou por 15 anos como assessora de imprensa. Ama cachorros e chinchilas. Adora casamentos e sempre se emociona quando vê uma noiva e quando escuta a Marcha Nupcial!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *